Últimas

O que aconteceu, Brasil?

Recusando explicações simplistas, e reconhecendo a complexidade da situação, o jornalista Gabriel Castro faz uma análise do que aconteceu no Brasil no domingo. E aponta cinco fatores que ajudam a explicar o fenómeno Bolsonaro.

O último ano desta maioria

Analisando os textos da rubrica “A política interessa-nos” (PCP, CDS, BE, PS e PSD), o jornalista David Dinis prevê uma campanha eleitoral de ruptura suave. Acredita ainda que daí sairá uma legislatura onde o PS tentará governar em minoria.

O que esperar ainda desta legislatura?

Teresa Morais (PSD) diz que o Governo não resistirá ao eleitoralismo em que se instalou e que tenderá a acentuar-se nos próximos meses. Os efeitos nefastos desta postura, diz, poderão ultrapassar aquilo que cada um de nós consegue antever.

Consolidar e aprofundar a alternativa

João Galamba traça um retrato positivo da ação do Governo e sublinha a importância da valorização do salário mínimo e da contratação coletiva. Destaca também o reforço que entende ter acontecido a nível da qualidade dos serviços públicos.

Mudar a política, mudar o país

Marisa Matias refere os “mitos” desfeitos nas últimas legislativas e aponta mudanças que considera urgentes: rever a viabilidade da Zona Euro, regular o mercado de trabalho, modernizar o Estado Social e apostar no investimento qualificante.

A encruzilhada

José Ribeiro e Castro aponta quatro reformas essenciais: desenvolver uma sociedade personalista, um País descentralizado, uma democracia de cidadania, onde mandam os eleitores, e um Portugal com menos pobres.

Uma luta que continua

António Filipe, do PCP, diz que em dois anos e meio foi possível concretizar, de forma limitada, medidas que traduzem reais melhorias das condições de vida dos portugueses. Mas subsistem problemas estruturais na Saúde e Educação, sublinha.