Últimas

“Deus na escuridão”

Isto dito, do que mais gostei foi o que me pareceu ser genuíno (tanto quanto o possa ser o que se diz numa entrevista que tem por motivação o lançamento do livro): a posição não dogmática quanto à fé. 

A crise nos media em Portugal: causas e saídas

Ou consideramos que, sendo uma pena, é a lei da vida, e o mercado é que manda; ou defendemos que a existência e até fortalecimento dos media é de tal forma importante que devem ser “artificialmente” suportados, em nome do interesse público.

Como nasce uma palavra*

Francisco deu palavra como as árvores dão fruto. E por isto, quando falava, todos entendiam. Porque Francisco pregava com a palavra nascida das suas mãos, nascidas ao lado das mãos dos outros.