Últimas

Equador

Seremos capazes de voltar a olhar o céu, traçarmos uma rota que nos volte a desafiar e empreendermos mais uma viagem, rumo ao futuro?

Não, não é proibido sofrer!

Em duas recentes decisões, os tribunais foram chamados a avaliar a existência de um “direito a não sofrer”. Ao negar a petição, os juízes põem o dedo numa ferida aberta: qual o lugar do sofrimento no nosso espaço cultural?