HISTÓRIAS DE VIDA

Aragão, uma vida de serviço

Aragão, uma vida de serviço

Reconhecia o potencial das coisas e ia-se disponibilizando a fazer parte. Para Aragão, lutar por uma comunidade unida sempre foi razão suficiente para a sua participação: “Vi que era uma boa coisa. Ter a comunidade unida.”

Adolfina, uma história de resiliência e redescoberta

Adolfina, uma história de resiliência e redescoberta

Foi por causa de um conselho, da força que encontrou no Grupo de Mulheres da Caparica-Pragal e das conversas com as voluntárias LD que, em plena pandemia, Adolfina persistiu na esperança e conseguiu encontrar emprego enfermaria de um lar.

Moa

Moa

“Todos os dias levanto e rezo para pedir a Deus o pão de cada dia. E Ele dá!”

Josefina, a Soba que nos recebe

Josefina, a Soba que nos recebe

Todos os assuntos da comunidade dizem respeito ao Soba e a sua intervenção é constantemente solicitada e muitas vezes é necessário reunir com os envolvidos, com a comunidade e com os pares – outros sobas – para uma solução final.

Foi uma lição muito aprendida: dar aquilo que você recebe

Foi uma lição muito aprendida: dar aquilo que você recebe

“Se eu hoje estou a lecionar cadeiras ligadas à irrigação e à química, isso é porque eu fui bem trabalhado pelos Leigos nessas matérias de cálculo, química, física e matemática. Foi porque eles [LD] deram tudo o que tinham para dar…”

Lembro como se fosse hoje

Lembro como se fosse hoje

Jairson: “A minha vida mudou muito depois de conhecer os LD.  Consegui concretizar muitos dos meus sonhos com a ajuda do Centro. […] Um dos meus objetivos era fazer o exame nacional, e consegui fazê-lo com sucesso.”

A minha oportunidade nesta vida

A minha oportunidade nesta vida

16 anos depois, Humberto confessa: «Hoje sei que, se me tivesse deixado assustar por essas histórias e tivesse ido para outra escola, teria perdido a minha oportunidade nesta vida! …»

O sabão mudou a minha vida

O sabão mudou a minha vida

Foi nesta província do interior que nasceu Catarina, filha de uma enfermeira e de um camponês. Aí passou a sua infância, num dos bairros periféricos da capital de província: “Era muito diferente, gostava muito de viver lá…”, confessa Caty

Jamais me esquecerei desta frase

Jamais me esquecerei desta frase

São Tomé, bairro da Madre de Deus. Aqui nasceu, cresceu e reside a Bráulia: «O meu caminho cruzou-se com o dos Leigos para o Desenvolvimento (LD) há tanto tempo que já não me lembro.»