Três meses de Serviço de Escuta

O Serviço de Escuta, criado em novembro, no âmbito do Sistema de Proteção e Cuidado de Menores e Adultos Vulneráveis, destina-se a acolher, escutar e apoiar vítimas de abusos sexuais, independentemente da data em que tenham ocorrido.

O Serviço de Escuta, criado em novembro, no âmbito do Sistema de Proteção e Cuidado de Menores e Adultos Vulneráveis, destina-se a acolher, escutar e apoiar vítimas de abusos sexuais, independentemente da data em que tenham ocorrido.

O Serviço de Escuta da Província Portuguesa da Companhia de Jesus completou na sexta-feira passada três meses de existência.

O Serviço de Escuta da Província Portuguesa da Companhia de Jesus recebeu, até ao momento, duas denúncias de abusos de menores, envolvendo dois jesuítas já falecidos. As situações relatadas remontam aos anos 50 e 80 e referem-se a toques em zonas íntimas. As vítimas pretendiam dar a conhecer a situação vivida, tendo, por isso, sido acolhidas e escutadas e o seu sofrimento reconhecido.

O Serviço de Escuta foi ainda contactado por outras vítimas que, relatando abusos ocorridos fora do âmbito da Companhia de Jesus, foram acolhidas, informadas e orientadas relativamente às entidades competentes para receberem os testemunhos e tratarem as denúncias.

Sofia Marques, coordenadora do Serviço de Escuta, agradece estes contactos e a confiança que as vítimas depositaram neste serviço que procura escutar, acompanhar e apoiar todos os que possam ter sido vítimas de abusos sexuais nas organizações ligadas aos jesuítas.

A Companhia de Jesus lamenta profundamente o impacto e o sofrimento que estas situações causaram às vítimas e reza para que possam agora encontrar paz e serenidade.

A Companhia de Jesus lamenta profundamente o impacto e o sofrimento que estas situações causaram às vítimas e reza para que possam agora encontrar paz e serenidade.

A coordenadora do Serviço de Escuta acrescenta ainda que a Companhia de Jesus continua empenhada em gerar um clima de confiança e segurança para que as pessoas que foram vítimas de algum abuso possam contar a sua história e receber o acompanhamento que desejem e necessitem.

Recorde-se que o Serviço criado em novembro, no âmbito do Sistema de Proteção e Cuidado de Menores e Adultos Vulneráveis, destina-se a acolher, escutar e apoiar vítimas de abusos sexuais, independentemente da data em que tenham ocorrido. Este Serviço -, que conta com um grupo consultivo de apoio e um grupo de escuta para acolhimento das vítimas – está preparado para receber e tratar denúncias através dos contactos escutar@jesuitas.pt ou 217543085 (entre as 9h30 e as 18h).

Recentemente, a pedido da Conferência Episcopal Portuguesa, foi também criada a Comissão Independente para o Estudo dos Abusos Sexuais Contra as Crianças na Igreja Católica. Esta comissão pode ser contactada através dos contactos: geral@darvozaosilencio.org / +351 91 711 00 00 e destina-se a recolher testemunhos de pessoas que tenham sido vítimas de abusos para poder traçar um retrato do fenómeno na Igreja em Portugal.

Estes dois serviços são autónomos e independentes, apesar de terem como missão comum contribuir para erradicar os abusos sexuais na Igreja Católica. A Companhia de Jesus pede às pessoas que tenham sido vítimas de alguém ligado às suas obras e organizações que não deixem de contactar o Serviço de Escuta mesmo que já tenham dado o seu testemunho à Comissão Independente.

* Os jesuítas em Portugal assumem a gestão editorial do Ponto SJ, mas os textos de opinião vinculam apenas os seus autores.