Últimas

É Missionar

Havia sempre algo de incerto associado ao trabalho, dia a dia e lugares de missão.
Percebi que o Senhor me chamava a partir, mesmo, sem ser tudo claro.

Tudo é possível

Pessoas como o Bebucho fazem-nos acreditar no desenvolvimento, fazem-nos confiar que aquilo que aqui vamos semeando vai sendo colhido e pode ser semeado mais tarde por quem colheu.

A história que precisava de viver

Aqui conheci pessoas que tem sempre a porta aberta sem medo, sempre dispostas a dar tudo o que têm sem pedir nada em troca. E esta é a história que eu precisava de ouvir e aprender e este é só o primeiro
capítulo desta história.

Todos somos chamados

Todos somos chamados a ser missionários, ainda que de formas diferentes, e a viver de coração aberto ao próximo. A consciência de termos sido criados para o amor responsabiliza-nos por cuidar e dar a conhecer este amor.

Senhor, dá-nos loucos!

Sei que esta não é a forma mais convencional de começar testemunhos, mas esta é também uma oportunidade para partilhar o deslumbramento que vou sentindo em missão, em especial nesta reta final.

“Para quê? Isso tem tudo para dar asneira”

Vamo-nos transformando, investindo o que somos e potenciando o que ainda podemos ser. Somos dor de cabeça, colo e luz umas para as outras; a “mão no ombro e o pontapé no rabo”. Temos muita sorte, mas também a vamos construindo.

Aprendendo a confiar

Este é o tempo que Ele me dá e é neste tempo concreto que me convida a servi-Lo.
Vou aprendendo a confiar que todos os tempos são lugar de crescimento.
Vou aprendendo a confiar que só Ele me dará as Graças necessárias para viver cada tempo.

Da resistência à entrega confiada

As dificuldades, as lutas e até os momentos de dúvida e de resistência fazem parte do caminho. No entanto, vou aprendendo que é na entrega e confiança que a vida vai ganhando verdadeiro sentido.