Os pianos Bösendorfer

A marca Boserdörfer perdura e os seus pianos continuam a espalhar magia.

O piano é um dos instrumentos mais populares, instrumento de concerto de excelência. Foram poucos os compositores célebres de música erudita que não tiveram como instrumento principal o piano.

Por norma os pianos têm um teclado compostos por 88 teclas. Trata-se de um instrumento de corda percutida. A tecla aciona um martelo, que por sua vez percute uma corda que vibra e produz som.

Imagem%20de%20Carlos%20Damas
Imagem de Carlos Damas

A primeira referência a um piano surge no ano de 1711, publicada no “Giornale dei Litterati d’Italia”, por ocasião da apresentação do referido instrumento feita pelo seu inventor, Bartolomeo Cristofori. Esta apresentação e primeira aparição mundial teve lugar na cidade de Florença. A partir desse momento o piano foi sofrendo uma série de aperfeiçoamentos até chegar ao piano atual.

Piano%20constru%C3%ADdo%20por%20Bartolomeo%20Cristofori.%20Fonrte%3A%20https%3A%2F%2Fi.pinimg.com%2Foriginals%2Ff4%2F18%2F05%2Ff41805168581af066ba962bccf1e25ca.jpg
Piano construído por Bartolomeo Cristofori. Fonrte: https://i.pinimg.com/originals/f4/18/05/f41805168581af066ba962bccf1e25ca.jpg

As principais e mais conceituadas marcas de pianos são a Steinway & Sons, a Yamaha e a Bösendorfer. Das três a Bösendrfer diferencia-se pela sua sonoridade quente e rica. Os pianos são máquinas complexas que requerem uma manufactura especializada. Por norma os pianos Bösendorfer levam 62 semanas a ser construídos.

A história dos pianos Bösendorfer começa em 1794 com o nascimento em Viena (Áustria), de Ignaz Bösendorfer. Ignaz era filho de um mestre carpinteiro. Aos 19 anos tornou-se aprendiz de um dos mais célebres fabricantes de pianos do seu tempo, Jospeh Brodmann (1763-1848). Aparentemente dotado para ofício, recebe em 1815 um prémio da Academia de Artes de Viena.

Em 1828, no mesmo ano em que Franz Schubert é sepultado em Viena ao lado de Beethoven, Ignaz Bösendorfer recebe a sua nomeação como membro da prestigiada associação Austríaca de Fabricantes de Instrumentos. O dia 25 de Julho do referido ano foi o dia em que a marca Bösendorfer foi estabelecida.

Nesta época, o período “Biedermer Vienense”, os pianos não eram instrumentos de concerto, serviam para o entretenimento caseiro. O governo Imperial Austríaco era extremamente restritivo relativamente à vida social, as pessoas reuniam-se á porta fechada. Os salões privados organizavam serões de diversão para a classe alta, dedicando-os a artistas e compositores locais. O piano passou a ter um papel de extrema importância nesses salões.

Não é de surpreender que naquela época existissem 387 fabricantes de pianos em Viena (fornecedores de música, alegria e entretenimento). No ano de 1828 Ignaz Bösendorfer fabrica 4 pianos, em 1835 a construção anual de pianos rondava os 200.

Em 1839 o Imperador da Áustria concede a Ignaz Bösendorfer o título oficial de “Construtor de Pianos da Corte Imperial e Real”.

Nos tempos que se seguiram Ignaz Bösendorfer tornou-se amigo íntimo de artistas célebres como o pianista e compositor Franz Liszt e Anton Rubinstein.

“A perfeição de um Bösendorfer excede as minhas expectativas mais loucas.” Franz Liszt (1811-1886)

Concerto%20de%20Franz%20Liszt%20num%20sal%C3%A3o%20de%20Viena.%20Na%20imagem%20Liszt%20utiliza%20um%20piano%20B%C3%B6sendorfer
Concerto de Franz Liszt num salão de Viena. Na imagem Liszt utiliza um piano Bösendorfer

Os pianos Bösendorfer atravessaram fronteiras, passando a ser tocados na Alemanha, Reino Unido, Itália, Rússia, Brasil e Egito. A crescente procura do modelo Grand Bösendorfer leva Ignaz a começar a construir uma nova fábrica. Mas Ignaz morre em 1859 sem ver o sua nova fábrica finalizada. O futuro da marca fica então a cargo de Ludwig filho de Ignaz.

Após a morte do pai, Ludwig muda os escritórios da Bösendorfer para o Palácio Liechenstein situado no centro da cidade de Viena. Além de um artesão fabricante de pianos Ludwig torna-se um patrono da música e das artes. Em 1872 inaugura no Palácio Liechenstein o Salão Bösendorfer, destinado a acolher atividades culturais.

Ludwig%20B%C3%B6sendorfer%20apresenta%20o%20seu%20piano%20ao%20Kaiser%20Franz%20Joseph%20I%20Monarca%20%C3%81ustriaco.
Ludwig Bösendorfer apresenta o seu piano ao Kaiser Franz Joseph I Monarca Áustriaco.

Durante os 40 anos que se seguiram foram organizados por Ludwig cerca de quatro mil concertos de piano e música de câmara. No Salão Bösendorfer atuaram artistas célebres como Ferruccio Busoni, Fritz Kreisler, Franz Liszt, Gustav Mahler, Max Reger, Anton Rubinstein, Pablo Sarasate, Richard Straus, entre muitos outros. O referido salão tornou-se num dos principais locais de concertos da cidade de Viena.

O%20transporte%20de%20pianos%20do%20tempo%20de%20Ludwig%20B%C3%B6sendorfer
O transporte de pianos do tempo de Ludwig Bösendorfer

Ao inovar e desenvolver continuamente os seus pianos, Ludwig Bösendorfer fez com que o seu nome e a sua marca se tornassem sinónimos de perfeição e detalhe.

Embora casado duas vezes, Ludwig não teve filhos. Em 1909 o império dos pianos Bosendörfer foi vendido ao banqueiro Carl Hutterstrasser. Apesar de banqueiro Carl era um admirador e entendido em pianos.  Anos mais tarde a cidade de Viena erigiu um monumento de homenagem a Ludwig Bosendörfer.

A marca Boserdörfer perdura e os seus pianos continuam a espalhar magia. A sua sede continua a ser em Viena no nº 12 da Rua Bosendörfer, no mesmo edifício da célebre sala de concertos MusikVerein, local onde se realiza anualmente o célebre concerto de ano novo que é transmitido pela eurovisão.

Todas as imagens cedidas por: pianos Bösendorfer. Contacto, Sra. Marion Alexander email. marion.alexander@boesendorfer.com

Vídeos para audição:

 

* Os jesuítas em Portugal assumem a gestão editorial do Ponto SJ, mas os textos de opinião vinculam apenas os seus autores.