Sonhar fora da caixa 

Os Gambozinos, pelos seus 25 anos, decidiram desafiar-se, uma vez mais, a sonhar alto, convidando todos a saírem de suas casas para um momento de celebração da Associação.

[LUZES; CÂMARA; (guião, atores, cenários, banda sonora, palcos, logísticas,…) AÇÃO!!! ]

Neste espetáculo que está prestes a acontecer, à semelhança de um campo de férias, os animadores assumem diferentes papéis, sendo que nem todos são de personagens. Carla foi uma das animadas que em 2020 não pôde fazer campo, e, nessa desilusão, por acidente embarca numa viagem emocionante e improvável, que não deixará ninguém indiferente.

Apesar do impacto que a pandemia teve em nós, os Gambozinos, pelos seus 25 anos, decidiram desafiar-se, uma vez mais, a sonhar alto, convidando todos a saírem de suas casas para um momento de celebração da Associação.

A Mega Produção apresenta-nos o desafio que é fazer e ser parte de algo, e a beleza de sermos bem sucedidos nisso. Lembrando-nos que nos GBZ há um lugar para cada um, e que não é preciso pretendermos ser aquilo que não somos, para encaixar; libertando-nos de máscaras e adereços que nos pesam, e aprendendo a confiar que aquilo que falta a cada um poderá ser dado por outro que está a nosso lado, tornamo-nos capazes de, com liberdade, aprendermos a ser quem somos.

Se lhe chamamos Mega não é pela quantidade de dinheiro investido nem de materiais que possuímos, ou, por outro lado, porque pretendemos competir com tantas outras bonitas obras e peças que por aí podemos ver; mas sim, por ser produto da generosidade de cada um, que quando deposta em comum se torna algo muito maior que todos nós. Se é Mega, é pelo que cada um dispõe de si para os Gambozinos, que acaba por edificar a nossa identidade, como pessoas e como movimento, capazes de fazer coisas verdadeiramente grandes, únicas e bonitas.

Fica o convite para cada um vir ver por si, e tirar as suas conclusões. A equipa composta por atores, guionistas, encenadores, músicos, artistas e mão de obra, passará por Lisboa e pelo Norte, para que ninguém fique de fora.

Saudações Gambozínicas, E que se partam muitas pernas! … para não usar a outra expressão

Lourenço Sarávia