Últimas

Da generosidade

Há uns anos trabalhei com uma pessoa que tinha uma característica que ainda hoje recordo com muitas saudades: tempo para ouvir e para responder. Qualquer pergunta que lhe fosse feita era sucedida de, pelo menos, 5 segundos de silêncio.

Da vontade de amar

Aprendemos a amar desde o momento em que nascemos: amamos aquele corpo, aquela voz que conhecemos depois de nove meses de formação; amamos aqueles olhos, aquelas mãos, aqueles colos. Mas, o que fazer para que o Amor não acabe?

Empatia

Desconfio verdadeiramente que andamos a sofrer de uma grave falta de empatia. Deixámos de ter a capacidade de nos colocarmos no lugar do outro e de partilhar a sua dor, o seu sofrimento, as suas angústias e os seus dilemas.

As jarreteiras podem mudar o mundo?

Quando falamos em escuteiros sabemos imediatamente quais são as primeiras imagens que vêm à cabeça de quem nunca pertenceu ao movimento: rifas e jarreteiras. É só isto que o escutismo deixa na sociedade portuguesa?

Retratos de uma Igreja

O que dizem alguns católicos contemporâneos sobre a experiência de Igreja? Como imaginam a Igreja “ideal”? Um texto despretensioso com retratos simples e, certamente, tão frequentes.

Entre a sede e as fontes

Na experiência crente, a pergunta sobre «onde está Deus» interroga-nos sobre o modo como olhamos para o mundo e os outros. Se é verdade que somos habitados pela sede, precisamos de ganhar olhos para descobrir as fontes imprevistas.

Importa saber estar só

Há solidão escondida, muitas vezes não diagnosticada, oculta atrás de ecrãs, de redes sociais, de festas, de uma vida que nunca pára. Mas há também a necessidade de aprendermos a estar sós para que possamos não nos sentir sós.

Mulheres: uma questão de perspetiva?

Na Igreja, como na sociedade, o papel da mulher tende a ser confundido com um papel menor. O de servir, cuidar, amar, orar e ao mesmo tempo ser ativa, ser inteira nas suas várias dimensões que passam por ser mãe, trabalhar, ser esposa, amiga, e ser, apenas. Sem palcos, sem luzes, sem protagonismo. Será realmente assim?