O sonho do Gambozino para mim

Todos nós conhecemos a palavra gambozino, sabemos mais ou menos o que é, mas nunca o vimos. No entanto, todos nós já o procurámos quando éramos pequenos, partíamos para uma aventura ao desconhecido com primos, amigos, tios, avós, pais, etc.

Todos nós conhecemos a palavra gambozino, sabemos mais ou menos o que é, mas nunca o vimos. No entanto, todos nós já o procurámos quando éramos pequenos, partíamos para uma aventura ao desconhecido com primos, amigos, tios, avós, pais, etc. Era a nossa pequena aventura durante a noite antes de nos irmos deitar. Era a incansável procura por este ser incrível de que os nossos pais nos falavam com tanto entusiasmo. Andávamos sempre alerta e sonhávamos e imaginávamos como seria a sua forma, qual era a sua maneira de reagir, o que comia, como comunicava, qual era o seu tamanho…
Ultimamente, sinto que os cristãos andam com uma preguiça gigante na caça aos gambozinos. Porque a verdade é que, hoje em dia, não fazemos um esforço para o procurar na nossa vida. Não estamos em constante alerta à procura de pequenos sinais que indiquem o seu paradeiro e o caminho que devemos seguir para ir ao seu encontro. Não andamos expectantes, ansiosos por o encontrar, andando de um lado para o outro, seguindo a luz de uma lanterna no escuro. O gambozino, de que vos falo, é Deus.
Se calhar, seria muito mais divertido se nos levantássemos do sofá, largássemos os telemóveis, as PSPs e os PCs e pegássemos numa lanterna, num casaco quente, sapatos confortáveis e, em família, fossemos à procura dos gambozinos, principalmente, daquela espécie de gambozinos tão incrível de que já vos falei.
Enquanto o procuramos, provavelmente, vão haver momentos em que vamos ter a tentação de desistir e voltar para o nosso mundinho mundano, no entanto, de forma misteriosa, e sem estarmos à espera, uma pista surge-nos através da luz da lanterna e lá ganhamos de novo esperança, continuando a seguir a pista que nos levará ao gambozino. Durante a aventura, iremos rir, sonhar, soltar pequenas gargalhadas de medo, tentaremos assustar e fazer rir os nossos familiares, iremos criar memórias inesquecíveis e viveremos um Natal mais gratificante em que o caminho do senhor se torna numa incessante procura do ser raro e maravilhoso que é Deus, o maior Gambozino de todos.
Quando a família, de forma unida, procura o mesmo e caminha no mesmo sentido, tudo surge em harmonia e o sonho torna-se mais concretizável.

Teresa Novais Machado