Dizem que somos loucos de la cabeça!

Depois de um Verão como este, nunca me fez tanto sentido esta letra. Temos mesmo de ser “loucos” para, no meio de tudo o que se está a passar, arriscarmos, e fazermos campos de férias.

Ohhhhh Gambozinos! Ohhhhh Gambozinos!!
Dizem que somos loucos de la cabeça, mas os Gambozinos é que interessa!

Para quem não sabe esta música é um clássico de qualquer campo/atividade de Gambozinos! Canta-se no final do survivor, canta-se no meio da caminhada, no final do campo já a caminho do autocarro, ou simplesmente no final de um jantar em que a comida estava tão boa que é preciso partilhar a emoção!

Depois de um Verão como este, nunca me fez tanto sentido esta letra. Temos mesmo de ser “loucos” para, no meio de tudo o que se está a passar, arriscarmos, e fazermos campos de férias.
E essa loucura é transversal e transmite-se a qualquer Gambozino!
Começando pela direção nacional, esses grandes “loucos” que desde o início se comprometeram a fazer o melhor possível, no meio da incerteza e de muito trabalho, mas sempre acreditando que por esses 10 dias tudo vale a pena!
Depois, temos os “loucos” dos animadores, sempre tão disponíveis para dizer sim, para continuarem a ser construtores de pontes, mesmo com máscaras e desinfetantes pelo meio.
E também os nossos Gambozinos e as suas famílias têm esta loucura em si! A confiança para decidir ir, dar-se a conhecer, e crescer.
Portanto somos mesmo “loucos” da cabeça, não há outra explicação! Mas que loucura tão boa! Porque agora que o Verão já passou, que as tendas foram arrumadas, temos tanto de bom a agradecer! Tantos aplausos e canções no início enferrujados, mas no final já cantados bem alto, tantas amizades relembradas ou formadas de novo, e tantos momentos de simplicidade, longe de écrans a que já estávamos demasiado habituados.

Na segunda parte da música está a chave, que nunca pode deixar de ser cantada, se não a primeira parte deixa de fazer sentido. Somos todos loucos pelo amor que temos aos Gambozinos, pelo compromisso e pela esperança que temos nesta associação e pelo bem que sabemos vir de um campo de férias.

E tal como canta Matias Damásio, no seu hit musical, e escreve São Paulo na sua primeira carta aos Coríntios, é muito bom ser “louco” por amor, porque assim estamos a imitar Jesus, o Grande Gambozino.

Que venha mais um ano de loucura e compromisso!

Sofia Bandeira Costa