Arte do encontro: um dia para a alma do casamento

Relógio da Família organiza atividade no dia 16, na Casa da Torre, em Soutelo. Um dia de reflexão individual e em casal sobre o matrimónio e que é uma oportunidade para rever e reequacionar a relação a dois. Inscrições a decorrer.

No próximo dia 16 vai decorrer mais uma “Arte do Encontro”, um dia de reflexão individual e em casal sobre o matrimónio e que é uma oportunidade para rever e reequacionar a relação a dois, de forma a proporcionar uma nova dinâmica no seio da família. A atividade é organizada pelo Relógio da Família de Braga e realizar-se-á na Casa da Torre, em Soutelo, das 9h às 20h e as inscrições já estão a decorrer.

“Aquele frio e neblina apanha-nos ao nascer e a gente morre com a alma cheia de roupa e talvez com a nostalgia de nunca termos mostrado a nossa alma a ninguém”, escreveu Alçada Baptista numa das suas crónicas do jornal ‘A capital’, já lá vão mais de 45 anos.

Sabemos que nunca damos a alma a conhecer na sua totalidade, porque ainda não sabemos de que tipo de totalidade ela é composta. Apenas sabemos que não há almas sozinhas: as almas fazem-se umas às outras. Mas que são pesadas, são, e gastamos a vida a tentar colocar a nossa no lugar a que pertence, desnuda, ali ao lado do coração, de onde vêm as coisas leves e suaves.

No casamento, como no resto da vida, nem tudo corre mal – e às vezes até corre bem! Mas mesmo este correr bem tem de ser leve, como a bailarina que se eleva no ar tocando a terra só com a ponta do pé ou como um par de bolas de sabão, cujo espectro colorido está consciente da própria fragilidade mas que não tem medo da liberdade que lhe afaga o movimento no sentido uma da outra.

Por estar consciente de tudo disto, o Relógio da Família propõe um dia para a alma do casamento. As informações e inscrições fazem-se através do telefone  253 310 400 ou do email casadatorre@jesuitas.pt.