Olhar de mãe

Durante toda a minha infância fui à caça aos gambozinos nas férias grandes de Verão. Programa de primos! Era sempre uma excitação noturna. De repente, depois de ter filhos, apareceram os gambozinos na nossa vida. E vieram para ficar.

gam·bo·zi·no

(origem obscura)

nome masculino

1. Animal imaginário, para a pesca ou caça do qual se convida uma pessoa considerada ingénua que se pretende enganar. (Mais usado no plural.) = GRAMONILHO, GRAMOZILHO

andar aos gambozinos

• [Regionalismo]  Vadiar.

Durante toda a minha infância fui à caça aos gambozinos nas férias grandes de Verão. Programa de primos! Era sempre uma excitação noturna. De repente, depois de ter filhos, apareceram os gambozinos na nossa vida. E vieram para ficar.

Primeiro como participantes, onde iam a chorar como se fossem para um campo de tortura, depois foram achando que afinal era bom! Depois passaram à fase que choravam se não fossem escolhidas! Afinal os gambozinos fazem chorar!

Fase seguinte – serem animadoras dos gambozinos. Uau! Outro stress!! ‘Será que vou ser mamã?’ ‘Como é que vou fazer para alimentar um monte de gambozinos esfomeados com meia dúzia de trocos?!’ E fazer alguns petiscos, como salame de chocolate e outras coisas apetitosas. Tudo isto sem luz eléctrica, sem batedeiras, sem máquina de lavar, etc. ‘Será que me convidam para Tia?’ ‘Conseguirei dar mimo aos mais pequeninos, entusiasmar os adolescentes e deixar marcas positivas em todos?’ ‘Terei estaleca para animador de equipa?’ Acho que sim. Acho que conseguem tudo isto e muito mais. Muitas vezes não temos noção do impacto que deixamos nas mais pequeninas coisas até passarem uns anos e mais tarde surgem conversas que despertam tudo aquilo que passou. Claro que há coisas que correm menos bem, os horários saem ao lado, dão-se imprevistos, mas é tudo isso que forma o campo e os gambozinos que lá estão! E é uma alegria ver chegar o comboio cheio deles, felizes, com o essencial bem presente depois de 10 dias no meio do nada e do tudo.

Que responsabilidade, que altruísmo, que disponibilidade, que bom ser capaz de sair do seu cantinho para dar aos outros. Acredito que também recebam muito, de amizades e de poder ver crianças e adolescentes a crescer com apoio. Tenho acompanhado os gambozinos nos últimos anos, vão saindo uns animadores, entrando outros mas o foco vai-se mantendo.

Parabéns gambozinos pela vossa missão!

 

Um beijinho a todos,

Tia Mó