História

O Creu foi fundado em 1989 pelo P. João Cabral sj e pelo Carlos Carneiro sj. A sua existência deve-se muito à insistência de um pequeno grupo cvx de universitários que ansiavam por um espaço no Porto que promovesse a reflexão e o encontro. Depois das alegrias e das dificuldades dos inícios, o Creu cresceu tranquilamente e consolidou-se numa presença, num estilo, com actividades e grupos de raiz inaciana. Passados quase 30 anos o creu é uma referência apostólica na pastoral da cidade.

Mantendo a Espiritualidade Inaciana, os Exercícios e o Acompanhamento pessoal como as traves mestras da sua acção e, sendo apoiado em cada ano, por uma dedicada Equipa de Animadores, o Creu foi passando por diversas fases: o Nascimento com o P. João Cabral e Carlos Carneiro (1989-1991); o Crescimento com o P. Vasco P. Magalhães (1991-1998); a Consolidação com o P. Gonçalo Eiró e o P. António Vaz Pinto (1998-2004); o Compromisso “social” com o P. António Júlio (2004-2006); a fase Expansiva com o P. Nuno Tovar de Lemos, P. Vasco P. Magalhães (2006-2011), P. Miguel G. Ferreira (2011-2013), P. Miguel Almeida e P. Filipe Martins (2013-2014) e, desde 2014, a fase formativa e de abertura a todos com o P. Carlos Carneiro, P. José Eduardo e P. Pedro Cameira. Em todas as fases da sua vida, o Creu tem procurado ser um lugar de referência onde os universitários crentes podem estruturar as razões da sua esperança e os não crentes podem descobrir as possibilidades da fé.

Há experiências que se associam ao Creu e lhe foram traçando o perfil histórico: os Cursos de RH e de Noivos; o Fé e Ética; o Eneagrama; o Passo 40; o Grão, o FAS e o Foste Visitar-me; o Grupo Ao 3º dia; os Las 3as; o Circulo Xavier; os PEQ’s da Quaresma; o Crisma na Sra. de Fátima; as Missas em Cedofeita; a Teologia Grátis; os Jantares Kapa; os Cursos 1 Noite&1Dia; as Noites XP; a Via Sacra da Alegria; Da Ribeira até à Foz; a Peregrinação a Santiago; o Natal com Abrigo; os BTT’s; o God’Talk’s; as Noite QB; os “Alta Tensão”; a Pobreza Envergonhada; os U Cat; o Sal e Pimenta, etc.

E se tivéssemos que escolher uma imagem que dissesse o que o Creu tem querido ser desde que nasceu, essa imagem é a parede de vidro da Capela que nos permite ver o mundo a partir de Deus e Deus a partir do mundo. E sempre que ali estamos é impossível não desejar que o Creu seja como aquela luz que brota do interior da imagem de N. Senhora grávida, esculpida pelo João Sarmento. Ali está a história do futuro.