Últimas

Crescimento económico: tem mesmo de ser?

Chegámos aqui porque o Estado utilizou a dívida de forma errada, não como resposta a uma vontade coletiva de criar melhores condições para que cada pessoa se desenvolva. Investimos de menos naquilo que nos permitiria escolher crescer.

Solidários ou individualistas?

As estruturas criadas desresponsabilizam-nos, pois acreditamos que “alguém” terá a obrigação de resolver os problemas com que nos cruzamos. O resultado é que podemos já nem saber identificar dificuldades nas pessoas à nossa volta.

Domingo: dia de arriscar e ventilar

Se o sistema político-partidário está desenhado para ser relativamente fechado, será nosso dever apoiar a sua abertura. A forma mais direta, concreta e realisticamente alcançável de contribuir para esse objetivo é votar num partido pequeno.

Tempos de tentação

Não conseguiremos mudar a ansiedade por decreto. As pessoas e as empresas escolhem um modo de vida constantemente ligado porque percecionam vantagens nisso.