Últimas

Acolher demais?

Pode a Igreja acolher de mais? Quero crer que “não”. Não existe tal coisa de “acolher de mais”. Acolher não tem “mas”! A Igreja terá futuro e presente se se rasgar ampliadamente. A mística ousada, mas fecunda, é a da abertura radical.

Pedofilia na Igreja: um rasgo de esperança

É impressionante que não tenham sido o amor à justiça e à verdade, bem como o privilégio pelos menores, tão escarrapachados no Evangelho, a alavancar a emergência da realidade, como ela é.

Homilia para este domingo – bem aventurados somos

Desafios da inteligência artificial são gigantes, inimagináveis, fascinantes e assustadores. Pela positiva, o incrível génio humano e as suas capacidades. Pelo lado sombrio, as implicações éticas de que só um pequeno véu se está a levantar.

Vamos falar então de morte, da minha morte…

A tentativa de racionalizar, prevenir, operacionalizar e facilitar só valerá se vier e for para o amor. Importará, em todos os cenários, amanhã e desde já, alimentar a esperança e o sentido para uma vida boa, minha e de todos.

Posso rezar pelo milagre do fim da guerra?

A guerra da vida, do tempo e do espaço, importa – e eu estou no meio dela. Mas a guerra cuja recruta me chama está cá dentro: e rezar é lutar para aceitar, amorosamente, ser um soldado do sonho amoroso de Deus.