História

Podemos afirmar que na génese deste movimento, estiveram presentes três aspectos, relacionados entre si, que influenciaram o aparecimento dos CAMPINÁCIOS:

  • a experiência dos acampamentos de férias específicos que o colégio do INA, em Santo Tirso, fazia com os seus alunos, apesar de muito diversa da que se viria a concretizar posteriormente. Estes acampamentos designavam-se “Campinas”;
  • os Jesuítas que faziam o seu magistério nos colégios (experiência pastoral durante a formação), estavam entusiasmados e envolvidos com a experiência de sucesso pastoral do CAMTIL;
  • transposição dos acampamentos de férias para a vida dos colégios como atividade pastoral no sentido de complementar a formação humana e cristã dos alunos num ambiente extraescolar.

Depois de algumas experiências muito positivas, em fevereiro de 1990, na casa das Mimosas, na Serra da Estrela, reuniu-se um grupo de pessoas pertencentes aos três colégios para refletir e deliberar a necessidade de criar um movimento de campos de férias para os alunos dos Colégio. O grupo era formado por: José Murteira, Leonor Regueiras, Alda Regueiras, Maria Odete, José Filgueiras, Tona, e José A. Azevedo como representantes do colégio do INA; José Manuel Lopes SJ, Maria Manuel Urbano, João Pessoa, e António Manuel como representantes do colégio do CAIC; Domingos de Freitas SJ, Lourenço Eiró, Carlos Ruiz, Rodrigo Queiroz e Melo, Filipe Queiroz e Melo, Horácio, Jorge Nunes, Pedro Rebordão, Cristina Rebordão, Miguel Morais, Cristina Cabeça, Filipa Vicente, Concha Líbano Monteiro e Sandra Rodrigues e como representantes do colégio SJB.

Apesar de já terem existido campos intercolegiais no verão de 1989, é durante esta reunião que é constituído oficialmente o movimento intercolegial com a designação de CAMPINÁCIOS, que se aprovam os estatutos e se definem os escalões das idades para os participantes nos acampamentos.

Após este encontro, os CAMPINÁCIOS como movimento foi ganhando alguma estabilidade e solidificação. No entanto, estava decidido que os CAMPINÁCIOS como movimento de acampamentos de férias seriam uma realidade incontornável na vida e formação dos alunos dos colégios da Companhia de Jesus.

Cfr. José da Silva ALMEIDA SJ, Para Educar Melhor – Acampamentos de Férias Inacianos, AO, Braga, 2004