“Desculpem, sou um sortudo.”

"Sou um sortudo por tudo o que recebi e recebo todos os dias por ser Gambozino. Foi tão simples como: “se precisares de mim nos Gambozinos, diz”. É simples, é estar disponível! "

Sou um sortudo por tudo o que recebi e recebo todos os dias por ser Gambozino. Foi tão simples como: “se precisares de mim nos Gambozinos, diz”. É simples, é estar disponível! E depois, através do exemplo e garra dos que estão à nossa volta, vai-nos sendo pedido mais e mais compromisso. E continua a ser simples, porque encontramos na diferença a nossa maneira de estar.

Sou um sortudo porque pude fazer crescer esta bela associação numa missão não muito óbvia e, à partida, mais fora “do terreno”, que aparentemente não nos dá tempo para estar nos bairros, atividades, (mini) campos, etc. Antes pelo contrário: a única maneira de estar comprometido é estar presente, tanto nas coisas que são espetaculares como naquelas que nos custam mais.

Sou um sortudo porque (algumas vezes) deixei que Jesus fizesse grandes coisas do pouco que eu sou. Somos pequenos mas com Ele, através de nós, grandes coisas acontecem!

Agora pensem: como é que explicam a magia dum campo de férias, a energia que de lá vem, o poder que tem na nossa vida?!

Quantos amigos não temos que perguntam “mas que raio fazes nesses campos?”. E nós só sabemos falar sobre jogos e atividades que fizemos, mas no fundo o que mais tiramos do campo não é nada disso. É algo que não se explica.

Quem nunca fez acha que somos tolos. Quem faz ou passa a fazer, não quer outra coisa.

Deixem-se de tretas. Somos uns sortudos por sermos Gambozinos.

Gonçalo Mina,

Animador