A Igreja dos pobres que (ainda não) sou – Ponto SJ

A Igreja dos pobres que (ainda não) sou

Vale a pena ser Igreja para ser pobre pois só o pobre pode partilhar. A sensibilidade à pobreza e solidariedade são mandatos humanistas e universais. As metodologias são diferentes e o nosso distintivo é o primado de aceitar a vida como dom