Sem máscaras em Loiola!

Pela primeira vez, pré-universitários ligados ao CREU-IL peregrinaram a Loiola, de 10 a 13 de Fevereiro de 2018. #creugrupoxcatequesecamtilem loiola2018_”em tudo amar e servir”

Que interesse pode ter Santo Inácio de Loiola -um santo do século XVI- para a juventude do Grupo X (17-18 anos de idade), da Catequese da Igreja Nossa Senhora de Fátima e do Camtil, ligados ao CREU-IL? Que interesse poderá ter para que entrem num autocarro com mais cinco animadores e vão passar o fim-de-semana de Carnaval a Loiola no meio de frio e chuva? Quando chegámos, Jesuítas em Loiola disseram-nos surpreendidos: “Vocês são corajosos! Não vemos o sol há umas semanas! Tem sido só chuva e neve”. Quais são as raízes biográficas de uma espiritualidade (inaciana) capaz de inspirar a vida e presença cristã da juventude inaciana portuense do século XXI?

“Santo Inácio fez um caminho até Deus. Nós não nos ficámos por menos!”

Foi para responder a perguntas como estas que fomos a Loiola conhecer alguns sítios, livros e paredes que falam da peregrinação exterior e interior que fez o autor dos Exercícios Espirituais. Santo Inácio fez um caminho até Deus. Nós não nos ficámos por menos. Fizemos o mesmo. Peregrinámos a Loiola para conhecer melhor o Santo que inspira o nosso caminho. O mesmo Deus que transformou a vida de Inácio, transformou a vida de tantos na Companhia de Jesus e transforma hoje a nossa. Fica uma alegria serena.

“O mesmo Deus que transformou a vida de Inácio, transformou a vida de tantos na Companhia de Jesus e transforma hoje a nossa.”

Que fizemos? Fizemos festa! Rezámos! Caminhámos! Partilhámos e conversámos sobre discernimento e crescimento pessoal na fé! O tempo foi curto e intenso. Mas conhecemos por dentro e por fora a história de Inácio para mais entendermos as palavras do Santo no livro dos Exercícios Espirituais e mote da peregrinação: “Em tudo amar e servir” (EE 233). Só neste exercício físico e espiritual poderíamos entender melhor que, o que caracteriza a nossa vida cristã e o modo inaciano de a viver é a acção concreta do amor: um serviço cheio de Amor!